80 Abadás Customizados para você Customizar o seu!

0
69
Abadá personalizado

Está pensando em fazer uma abadá customizado para você pular o carnaval mas precisa de ideias e inspiração? Confira diversas imagens que selecionamos da internet!

Não importa se você é homem, mulher, magra, baixa, alta, gorda, gay ou hétero. Sempre há um estilo que ficara ótimo para você e para o seu corpo.

Seja criativo(a) no momento de personalizar o seu abadá!

Abadá pode se referir a vários itens de vestuário: um tipo de bata ou túnica branca usada pelos muçulmanos que aportavam no Brasil como escravos, o uniforme dos trabalhadores portuários no Brasil, as calças usadas pelos capoeiristas ou uma camisa vendida em um carnaval ou produção teatral para promover o evento.

Carnaval baiano, final dos anos 60, a Avenida Sete fervilhava ao som das batucadas e dos poucos trios elétricos. Caetano, de Londres, profetizava: “atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu”.

A contra-cultura dava o tom da festa. Entre pierrôs, palhaços e mascarados, surgia a figura “dark” das “mortalhas”. A moda era sair fantasiado de morto. Uma fantasia irreverente que sintonizava aqueles tempos; o fúnebre da mortalha contrastava com a alegria e a liberdade da festa; era proibido proibir; tudo era permitido, menos o óbvio. As mortalhas, geralmente nas cores preta, vermelha ou branca, ostentavam cruzes no peito e nas costas. Também fazia parte da fantasia um capuz que logo seria abolido com a proibição imposta pelo governo militar de se brincar mascarado.

A praticidade das mortalhas ganhou fama e em pouco tempo já era unanimidade entre o povão. Os blocos da época ainda resistiam, utilizando fantasias de marinheiro, índio, pirata e outros bichos. Enquanto isso na rua fazia-se a revolução. As mortalhas que antes eram fúnebres, começavam a ganhar novas cores e serviam também como forma de expressão política e sexual, exibindo dizeres bem ao estilo daqueles anos.

Depois de perder suas principais características, como o capuz, as cores negras e as cruzes, a mortalha ganhou vida própria. Ao contrário das fantasias tradicionais, ela oferecia conforto e praticidade. Não demorou muito e os blocos mais sintonizados começaram a adotar a mortalha como fantasia. Logo ela se tornaria, junto ao trio, um dos símbolos do carnaval baiano dos anos 70 e 80. Anos depois, essas fantasias, que de mortalha só tinham o nome, já não combinavam com novos tempos de conquista sexual. Era muito pano. As mulheres, como sempre elas, passaram a dobrar, cortar, enrolar, enfim, davam sempre um jeito de modificar e encurtar a fantasia. A mortalha estava com seus dias contados. Foi aí que no início dos anos 90 apareceu o “abadá”. Uma evolução. Na realidade, uma mortalha mais curta e acompanhada de um short.

Hoje, o abadá é, não só a fantasia mais utilizada no carnaval baiano, como também a fantasia oficial de todas as micaretas no Brasil inteiro. Pouca gente sabe, porém, que abadá originalmente é o nome da roupa com que se joga a capoeira, da qual inicialmente tinha-se tentado copiar o modelo. Naturalmente, depois de muito estilizado, a “fantasia abadá” nada tem a ver com o “abadá da capoeira”. Mas fica a homenagem a essa arte belíssima de uma cultura fantástica.

Customizando seu abadá

Se você está precisando de ajuda para personalizar o seu abadá, conferia alguns vídeos tutoriais que selecionamos para você!

CUSTOMIZAÇÃO DE ABADÁ FÁCIL E SEM COSTURA

Descrição: Olá meus amores, hoje eu trouxe o primeiro vídeo da serie de videos de carnaval que teremos nesse 2020 ein? São 4 customizações de abadás super fáceis, gastando pouco e sem precisar saber costurar! E clarooo que super lindas pra você arrasar nesse carnaval e ser a mais gata haha.

CUSTOMIZANDO ABADÁ, 2 EM 1

DIY: Customizando Abadá

RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES GRÁTIS
Enviamos nossos novos posts por e-mail para que você não perca nenhuma novidade!

Deixe uma resposta