O Design de Sun Tzu: O cheio e o Vazio

0
621

Qual é a importância de se obter vantagem sobre a informação? Situações do cotidiano exigem amplo domínio das informações. Um simples problema, por exemplo, pode se tornar grandioso se você não entende sua real forma. Se você não sabe o que está enfrentando, como espera vencer?

Saber lidar com informação e usá-la ao seu favor significa estar “cheio”, e entender a “forma do movimento logo, se você não sabe como lidar com a informação você está “vazio”.

Digamos que um batalha acontecerá em um local longe, um ponto A, a força do seu inimigo é superior a sua, analisando as rotas para a batalha você descobre que há uma maneira de chegar antes do inimigo no ponto A.

Confrontar um exército com maior força é perigoso, mas, o fato de estar perto do local torna mais simples de contornar isso, basta chegar primeiro ao ponto A, chegando antes você estará descansado e em posição vantajosa, quando o exército inimigo chegar ao ponto A, ele será obrigado a iniciar o combate estando cansado, e por fim terminando esgotado. Um Exército cansado conseguirá lutar com total eficiência? Com certeza não.

A formula básica de se aplicar o Cheio e o Vazio é analisar e agir no oposto da situação, se o inimigo estiver a vontade, incomode-o, se alimentado, deixe-o com fome, se descansado, faça-o se movimentar, se tem poucos consigo, fique preparado para se defender… E assim, por diante.

Provocar reações é o melhor meio de descobrir informações, se você desconhece o inimigo completamente e quer descobrir a sua fraqueza e a sua força, simplesmente atice-o, ele é atraído pela oportunidade, e afastado diante o perigo.

Agite-o, incite-o e descubra os seus padrões de movimento.

Para resumir essa lei militar é importante se manter cheio esvaziando as forças do seu adversário, logo usar a informação do inimigo para atacar ou se defender é essencial.

Design do Cheio e o Vazio

Não seria diferente no mundo do Design, projetos são criados a todo instante com o intuito de resolver uma necessidade, todos em si tem um objetivo claro e lógico para sua execução, o designer deve conhecer a forma do projeto, para isso, ele deve usufruir da informação do público e não da própria, entender os padrões de movimento do seu público é o que dita a eficiência do projeto e sua conclusão.

Designers trabalham muito com a ideia de Cheio e Vazio, geralmente no inicio do projeto eles estão “vazios” não sabem como adquirir as informações necessárias, o que utilizar, são raros os casos que a solução e seus caminhos são simples, é necessário muitas pesquisas e análises para entender o seu objetivo.

Em um trecho do capítulo, Sun Tzu disse:

De acordo com as formas se fazem os planos de batalha, mas as pessoas não entendem isso. As pessoas conhecem as formas das vitórias, mas não o modo pelo qual elas são conquistadas.

O projeto deve seguir essa linha de “conhecer a forma para projetar”, criar sem informações é atirar no escuro, você pode acertar mas as chances são minímas.

Pense, você precisa ciar um projeto para atender uma demanda de algum público desconhecido, aonde você iria buscar informações? No seu conhecimento e sua vivência? ou, nos padrões do público em questão?

É claro que nos padrões do público, a estratégia será definida para eles, mas executada por você.

Busque a informação de ambientes diversos, de preferência do “inimigo”, análise, entenda e efetue, mantenha-se cheio com a informação do “inimigo”, esta é a regra, este é o sentido de Cheio e Vazio.

 

Autor: Matheus Conti Rocha

RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES GRÁTIS
Enviamos nossos novos posts por e-mail para que você não perca nenhuma novidade!