Dicas antes de migrar seu blog para WordPress

0
605

O desejo de todo blogueiro que pensa em ter algo realmente bem feito com blogs é sempre migrar para o WordPress, e se livrar do Blogger, como todos desejam, mas não é uma tarefa fácil, nem rápida a de se fazer. Temos que contratar uma hospedagem, pagar todo mês por ela — ou ano, depende do seu acordo com a empresa –, migrar tudo, criar tudo novo, e tudo que há de direito, e por isso que criei dicas para facilitar a vida de todos enquanto migra.

São exatamente os procedimentos que eu faria, caso eu fosse migrar agora:

1) Arrumar uma boa hospedagem

Claro que para migrar é necessário contratar uma hospedagem, e ainda mais quando se sai do Blogger, que está hospedado nos servidores do Google que há riscos mínimos de cair, e isto requer uma boa hospedagem. Por isso, priorize bastante no assunto, veja como é o suporte, procure no Google a respeito da empresa, veja como são os planos, e se quiser, procure ajuda, e consulte o Google.

Nós estamos hospedados na empresa iNET Brasil, que é uma ótima empresa de hospedagem. Você pode conseguir hospedagem com um valor a partir de R$ 9,90, e caso convenha conhecer mais, você pode entrar em contatos com a empresa pelo mesmo link tirando suas dúvidas e entendendo melhor como é.

Logo depois que contratar uma hospedagem, você terá de arrumar um domínio temporário, aí você deve pensar em como fazer. Aqui no blog, configuramos no arquivo “hosts” para direcionar para o servidor que estamos atualmente, e por final, configuramos o domínio para ficar já para a hospedagem. Mas nunca em hipótese alguma coloque seu domínio apontado antes de terminar tudo, porque seu blog sairá do ar se estiver usando o domínio em outra plataforma — explicarei melhor brevemente.

É por isso que eu segui um exemplo num dos meus primeiros blogs em comprar o domínio junto com a hospedagem, o que me poupou trabalho e fiz tudo silenciosamente, mesmo que praticamente não houvesse acesso no meu blog. Mas ajudou muito, porque configurei tudo e não passei por nenhum problema depois. A parte melhor também foi porque o domínio não estava indexado pelo Blogger, o que podia mudar até permalink.

2) Organizar tudo antes de começar o trabalho

Não fizemos exatamente isso aqui no Designer Effects porque quando o Kevin virou e disse: nós iremos para o WordPress, eu falei todos os palavrões no momento de alegria, e ainda, quase fui soltar fogos, mas é algo que coloquei em mente que farei logo que for migrar outro blog. A organização é a palavra chave para que o trabalho dê certo, e sempre foi e sempre será.

É bem preferível que se pare tudo, pense a respeito, e faça uma lista sobre o que será necessário, e separe tudo, e tudo numa ordem certa, sem ultrapassá-la. Eu gosto muito de pegar um bloco de anotação e escrever nele o que farei antes de escrever algum artigo, isto me dá grande ajuda e auxílio, e até mesmo, como é o caso que eu gosto muito de fazer artigos em nível jornalístico, anotar os principais pontos ajudam, como fiz neste artigo:

Assim como eu com as minhas manias loucas de me organizar antes de postar alguma coisa, você pode tentar apelar para isto separando tudo em etapas. Eu separaria assim:

  • Arrumar uma hospedagem;
  • Preparar um domínio temporário;
  • Instalar o WordPress no computador e na hospedagem;
  • Configurar tudo;
  • Preparar o café e estudar;
  • Começar a preparar o tema, plugins e afins;
  • Preparar posts para migrar;
  • Migrar os posts;
  • Arrumar categorias, tags, organizar posts, imagens e afins;
  • Configurar tudo de SEO;
  • Preparar domínio e redirecionamento.

Eu prepararia algo mais ou menos assim, mas não quer dizer que é obrigatório seguir tal ordem, porque pode modificar, já que o importante é arrumar o seu modo e como preferir. Eu gostava de trabalhar com esta ordem, mas faço de outra maneira mais complicada e que pode levar até mais tempo, já que eu sempre migrava sozinho. Aí é com vocês e como acharem melhor.

4) Preparar o café e estudar

Como o WordPress usa PHP e tem tags próprias, e ainda tem questão de pastas, arquivos diferentes, e tudo mais, você precisa aprender a mexer em tudo. Não é complicado e nada que uma boa googleada resolva, e claro, conte com o Codex sempre, pois ele é a bíblia do WordPress. Não é nenhum monstro de sete cabeças, e é algo que aprende sozinho, e não tem problemas.

Claro que você também pode instalar temas prontos, que é mais fácil que o Blogger, então pode procurar pela internet ou pelo próprio site do WordPress, mas é bem mais legal que você faça seu próprio tema, principalmente se você já fazia isto antes no Blogger ou na outra plataforma. Você precisa saber o básico do PHP — aliás, a gente praticamente só moveu de uma linha para outra, mas sabia interpretar cada coisa dos códigos –, o que o WordPress usa que tem tudo no Codex, aprender sobre os arquivos (ridículo), HTML e CSS, e pronto. E claro, café.

5) Preparar plugins necessários para suas necessidades

O bom do WordPress é que podemos instalar plugins, e também fazer tudo no código na marra, mas os plugins nos ajudam cada dia mais e impedem um trabalho pesado. Podemos criar nossos plugins e usar de terceiros, e alguns não tem nem como fugir, o que dá um gostinho a mais no WordPress de uma excelente plataforma, que também há nas outras plataformas.

Isto faz a plataforma ser menos limitada e não ser apenas um lugar para hospedar blogs, como também, sites, como há em vários lugares. Tem plugin para feeds, Google Analytics, para plataforma de comentários, SEO, e tudo mais, mas há alguns que pode-se chamar até de obrigatório. Uma pesquisa no Google sempre ajuda, e para instalar, é mais fácil ainda, mas não abordarei tal assunto agora.

6) Prestar bastante atenção em SEO

SEO é importante, e até demais, porque é dele que vem muitos visitantes e ainda o que nos faz aparecer nos sites de busca sempre que alguém precisar. É bem obrigatório instalar plugins como All in One SEO, e ainda, apontar tudo que os sistemas de busca pedem, e óbvio, deixar tudo idêntico sem nenhuma modificação de como estava antes.

É importante também deixar os links parecidos com os das postagens do Blogger, que não vem programado por padrão, o que ensinarei depois também com calma. Não só os links, como títulos, tags, descrição, ou seja, tudo. Quanto menos diferente ficar, melhor vai ser, mas não sou muito bom em SEO, então não sei explicar direito a área, coisa que sempre tive que pedir ajuda para fazer.

7) Hora de migrar os artigos e organizar tudo

Esta é a parte mais chata, cansativa e mais fácil de se fazer. Você, simplesmente, vai pegar seus artigos do Blogger ou a plataforma que for, e vai passar para o WordPress, e isso não é cansativo no começo, mas depois vai se deparar com um inferno. Se estava no Blogger, todos os marcadores irão virar categoria, ou seja, você terá de organizar tudo de novo, sem contar que terá que colocar tag em tudo, ou seja, isto é cansativo.

Mas nada que um dia mexendo nisso resolva, principalmente as categorias, mas também há aqueles posts que é necessário editar para ficar de acordo com o WordPress, também tem disso. Geralmente a gente aplique uma forma para fazer resumo de posts no Blogger, mas no WordPress utilize outra forma, como também tem questão de imagens, e tudo mais. É necessário arrumar tudo, e recomendo começar pelos últimos posts a serem publicados até os primeiros, mas faça aos poucos, e você pode até liberar o blog para o público mesmo assim, como fizemos.

Obs: isso não precisa ser feito correndo e antes de liberar o blog. Você pode preparar uns artigos logo para isto e publicar o blog, não precisa fazer tudo, porque se for assim, vai passar a vida inteira nisso. Pule para a próxima etapa e faça isso aos poucos, como estamos (infelizmente) fazendo aqui.

8) Prepare seu domínio e redirecionamentos

Finalmente, depois de tanta trabalheira, vem a hora que você pode dar um “descanso” depois. A empresa em que você hospedou irá lhe dar as informações para isso, e a empresa onde você comprou o domínio, terá um modo de você registrar isso, então infelizmente, não há como generalizar como seria para editar. Mas se você procurar direito, você acha, mas varia de empresa para empresa, então, pesquise e tente entrar em contato com a empresa da hospedagem e domínio.

Depois que apontar o domínio para a hospedagem, irá demorar horas, ou até um dia ou mais para que se torne acessível o site, ou seja, espere. Enquanto isto, vai preparando tudo, como o FeedBurner, que caso use, o WordPress usa o endereço “http://seublog.com/feed” para feeds, entre outras coisas. Também, no Blogger é obrigatório ter “www”, no WordPress geralmente se cria sem e fica muito mais elegante, e se não redirecionar, ache uma maneira de redirecionar, mas geralmente redireciona-se automaticamente.

Caso esteja no Blogger e não use domínio próprio no Blogger, ou seja, ainda use “blogspot.com”, há maneiras de redirecionar também, o que explicarei mais para frente. Mas se haver alguma dúvida sobre, você pode me procurar que tentarei ajudar.

9) Faça um artigo explicando tudo

É de total certeza que o blog ficará fora do ar, o domínio inacessível, e isso poderá levar pouco tempo para certas pessoas, e para outras, mais tempo. Faça um artigo pedindo desculpas, explicando que migrou, pedindo opiniões, e caso alguém encontre errado, para avisar Seria interessante se explicasse também seus planos, metas, e o que você achar conveniente, mas é de seu interesse e tudo de seu blog.

10) Festa!

Depois de um longo trabalho, comemore, abra champagne, digo, refrigerante ou café, e caso seja maior de idade, uma cerveja valeria a pena depois de longo trabalho, e claro, com um lanche do Burger King, ou então saia de casa e vá logo para um restaurante, o que for. Comemore, conte para a equipe, e vá descansar, você merece.

Não é tão complicado migrar para o WordPress, e claro, há suas dificuldades, mas isto vence fácil e pode também tirar dúvidas de maneira simples. Muitas coisas eu falei por alto, porque eu fiz apenas um resumo de algumas ideias que tenho em mente para postar, e como estarei pensando em migrar meu blog pessoal para WordPress, farei utilizando estas dicas que usei aqui, mas prepararei tudo no meu computador, depois migrarei para o servidor, o que detalharei os procedimentos no blog conforme for havendo tempo.

Alguma dúvida? Comente ou procure-nos no Twitter. Claro que, se quiser tirar uma dúvida direto comigo, você pode me mandar um e-mail ou me procurar no Twitter, onde estou sempre.

RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES GRÁTIS
Enviamos nossos novos posts por e-mail para que você não perca nenhuma novidade!